Por volta de 1860, o Capitão Geraldo Ribeiro do Valle, filho de Vicente Ribeiro do Valle, comprou terras nos município de Guaranésia e Monte Santo de Minas:
Fazenda Humaitá atual Catitó e Fazenda Itororó que se tornaria a Fazenda da Onça.

Em 1903, a Fazenda passou ser propriedade de Francisco de Paula Ribeiro (Chico Geraldo) que, sem herdeiros diretos a vendeu na década de 20 para sua irmã Margarida Augusta Ribeiro (Sinhá Margarida) que foi casada com médico baiano Dr.Arnaldo Pereira da Silva, os filhos: Mario, Aníbal e Alcino Ribeiro Lima. Sinhá Margarida casou-se em segundas núpcias com Dr.Alberto Jose Alves e passou a Fazenda da Onça para o seu filho mais velho, Mario Ribeiro Lima. Com seus 19 anos revelou seu espírito empreendedor na cafeicultura progressista e comprou mais terras, ampliando suas lavouras de café.
Mario Lima no ano de 1923 casou-se com Maria de Lourdes Ferreira Leite, filha do Major Custodio Ferreira Leite e Ozilia Soares de Moraes, residindo na Fazenda da Onça, onde tiveram três filhos, Moema, Mario e Marcelo Ribeiro Lima.

Moema, que herdou a fazenda após a morte de seus pais, casou-se com Firmino Rocha de Freitas, que comprou mais terras aumentando significativamente as lavouras de café. Firmino trouxe tecnologia, firmou parcerias para desenvolvimento genético de novas variedades, aumentando muito a produtividade da fazenda.

Dona Moema faleceu em maio de 2001, mulher virtuosa, deixando uma enorme saudade pela sua total dedicação ao povo de Guaranésia e em especial pelos trabalhadores da Fazenda da Onça.
Hoje a Fazenda da Onça é dirigida pelo Dr. Firmino e seus filhos.